BRASILEIRO DE MARCAS E PILOTOS

Marco Romanini levanta a taça

Marco Michelon Romanini experimentou todas as emoções durante o fim de semana no Autódromo Internacional Zilmar Beux, em Cascavel, na disputa do Campeonato Brasileiro de Marcas & Pilotos. Pilotando o Gol número 88 da Stumpf Competições, o cascavelense de 21 anos chegou ao título nacional com vitórias em três das quatro corridas. A série de baterias teve início no sábado (14) e foi encerrada na tarde deste domingo (15).

No sábado, largando da pole-position, Romanini venceu a primeira bateria de ponta a ponta. Na segunda, conseguiu mais uma vitória, depois de cair para o quarto lugar já na largada e passar quase metade da corrida pressionando o então líder Luiz Fernando Pielak. “Eu liderei todas as corridas do Brasileiro, meu carro foi um canhão durante o fim de semana todo. Nem tudo saiu como a gente planejava, mas o que importa é o título”, comemorou.

Na primeira corrida do domingo, válida pela terceira e penúltima etapa do Brasileiro, Romanini largou da pole e abriu relativa vantagem. Na 12ª volta, teve de estacionar no box da Stumpf Competições com o pneu dianteiro furado. A troca o fez perder quase uma volta em relação a Adriano Reisdorfer, seu companheiro de equipe, que ficou com a vitória e assumiu, na classificação bruta, a liderança do campeonato com 50 pontos.

Se a primeira corrida do dia aconteceu sob sol forte e com pista seca, a etapa final, que tinha Reisdorfer na pole e Romanini largando em 11º, foi iniciada sob chuva forte, com o safety car na pista. A bandeira verde autorizando as trocas de posições só foi deflagrada depois de seis voltas, com aproximadamente 13 dos 30 minutos da prova já transcorridos. “Naquele momento, eu já estava conformado com a perda do campeonato”, admitiu.

A relargada foi dada na abertura da sétima volta e fez-se marcar pelo mais polêmico momento do fim de semana. Quando o safety car deixou a pista, Reisdorfer reduziu o ritmo. Júnior Caús, que largava em segundo, posicionou-se ao lado do seu carro. Os dois foram ultrapassados por Luiz Fernando Pielak e, nos momentos seguintes, antes da linha de relargada, outros seis pilotos deixaram o pole-position para trás – todos seriam punidos.

Com chuva forte e Reisdorfer preso no pelotão intermediário, Romanini buscava o quarto lugar para ser campeão, posição que ocupava na décima volta, quando o safety car voltou à pista para garantir segurança às equipes que tiravam de posição de risco os carros de Klebson Cunha e Leônidas Fagundes – os dois rodaram na pista molhada. A nova relargada foi dada a uma volta do final, sob protesto dos pilotos, que alegavam condições críticas de aderência.

Na pista, Pielak e Caús foram primeiro e segundo colocados. Wanderley Faust terminou em terceiro, com Romanini em quarto. Os três primeiros na prova, contudo, integraram a lista dos sete punidos com o acréscimo de 20 segundos ao tempo total – Fagundes, André Massuh, Guto Baldo e Marlon Bastos completaram a relação. Romanini foi declarado vencedor da bateria e comemorou seu primeiro título no automobilismo. Reisdorfer foi vice-campeão.

“Demoramos um ano inteiro para deixar esse carro tão competitivo quanto ele esteve hoje, estava uma bala. Eu disse a um jornalista que não venderia esse carro hoje nem se me oferecessem um bom dinheiro”, comentou o novo campeão brasileiro, que tem o Gol número 88 da Stumpf Preparações decorado nas cores e logomarcas de Abraplac Paineis Decorativos e Sthar Films. “No ano que vem, nós vamos buscar o bicampeonato”, avisou.

Antes de pensar na segunda edição do Brasileiro de Marcas & Pilotos sob o formato que a Confederação Brasileira de Automobilismo praticou neste ano em Cascavel, com todas as etapas condensadas em um único fim de semana – será em novembro de 2010 na pista gaúcha de Tarumã –, o piloto cascavelense terá na agenda mais uma decisão. No próximo dia 29, ele disputará em Curitiba a etapa final da Copa Turismo Show, da qual é líder isolado.

Terceira bateria, 22 voltas
1º) Adriano Reisdorfer (PR/VW Gol), 30min11s238
2º) Edoli Caús Júnior (PR/GM Corsa), a 1s477
3º) Leônidas Fagundes Júnior (PR/VW Gol), a 5s179
4º) Luiz Fernando Pielak (PR/Ford Ka), a 14s932
5º) André Massuh (DF/GM Corsa), a 26s971
6º) Guto Baldo (PR/VW Gol), a 27s325
7º) Wanderley Faust (PR/GM Corsa Sedan), a 32s775
8º) Marlon Bastos (PR/GM Corsa), a 33s034
9º) Lademir Marcante (TO/VW Gol), a 59s970
10º) Luciano Cardoso (RS/VW Gol), a 1min19s773
11º) Marco Romanini (PR/VW Gol), a 1min28s379
12º) Paulo Vessaro (PR/Fiat Palio), a 1 volta
13º) Pedro Souza Neto (PE/VW Gol), a 1 volta
14º) Gerson Filho (PE/GM Corsa), 2 voltas

NÃO COMPLETARAM
Rafael Mocelin (RS/Fiat Palio), a 10 voltas
Leonel Neto (PE/GM Corsa), a 10 voltas
Guinho Biberg (PR/Renault Clio), a 16 voltas
Klebson Cunha (PE/GM Corsa), a 22 voltas
Marcelo Camacho (SP/GM Corsa), a 22 voltas
Melhor volta: Caús Júnior, na 13ª, 1min21s043, média de 134,684 km/h

Quarta bateria, 14 voltas
1º) Marco Romanini (PR/VW Gol), 30min48s147
2º) Luciano Cardoso (RS/VW Gol), a 3s954
3º) Guinho Biberg (PR/Renault Clio), a 4s296
4º) Lademir Marcante (TO/VW Gol), a 7s32
5º) Adriano Reisdorfer (PR/VW Gol), a 8s492
6º) Leonel Neto (PE/GM Corsa), a 9s843
7º) Luiz Fernando Pielak (PR/Ford Ka), a 11s905
8º) Edoli Caús Júnior (PR/GM Corsa), a 14s965
9º) Paulo Vessaro (PR/Fiat Palio), a 15s414
10º) Wanderley Faust (PR/GM Corsa Sedan), a 17s430
11º) Guto Baldo (PR/VW Gol), a 20s939
12º) Marlon Bastos (PR/GM Corsa), a 21s712
13º) Leônidas Fagundes Júnior (PR/VW Gol), a 1 volta
14º) Pedro Souza Neto (PE/VW Gol), a 1 volta
15º) Gerson Filho (PE/GM Corsa), 1 volta
16º) Klebson Cunha (PE/GM Corsa), a 2 voltas

NÃO COMPLETARAM
André Massuh (DF/GM Corsa), a 6 voltas
Marcelo Camacho (SP/GM Corsa), a 14 voltas
Melhor volta: Pielak, na 9ª, 1min37s809, média de 111,597 km/h

CLASSIFICAÇÃO
Considerado o descarte obrigatório de uma bateria por piloto, o Brasileiro de Marcas teve a seguinte classificação: 1º) Romanini, 60 pontos; 2º) Reisdorfer, 50; 3º) Pielak, 34; 4º) Cardoso, Biberg e Faust, 22; 7º) Baldo, 20; 8º) Caús Júnior, 18; 9º) Marcante, 15; 10º) Fagundes e Massuh, 12; 12º) Bastos, 11; 13º) Neto, 6; 14º) Vessaro, Souza Neto e Mocelin, 2.
Texto: Luciano Monteiro – (45) 9912-7040 – Fotos: Sérgio Sanderson

Anúncios

ROMANINI VENCE AS DUAS

Brasileiro de Marcas começa “quente”

Marco Michelon Romanini dominou o primeiro dia de provas válidas pelo Campeonato Brasileiro de Marcas & Pilotos. Horas depois de conquistar a pole-position, o piloto da Stumpf Preparações venceu as duas baterias disputadas na tarde deste sábado (14) no Autódromo Internacional Zilmar Beux, em Cascavel. A competição chega ao fim neste domingo (15), com a disputa de mais duas provas, com largadas previstas para as 12h25 e as 14h40.

Romanini, que tem no Gol número 88 as logomarcas de Abraplac Paineis Decorativos e Sthar Films, dominou a primeira bateria de ponta a ponta. Com uma vantagem razoável sobre seu companheiro de equipe Adriano Reisdorfer, vice-líder após perder posições na largada e na relargada, administrou o ritmo nas voltas finais e venceu com vantagem de 0s157. Luiz Fernando Pielak, Guinho Biberg e Wanderley Faust fecharam as cinco primeiras posições.

A segunda corrida foi mais complicada para Romanini. Largando da pole com um peso extra de 30 quilos no carro, por ter vencido a prova inicial, caiu para quarto na largada. No complemento da segunda volta, superou Faust, segundo, e Reisdorfer, então o terceiro. Reisdorfer acompanhou-o na manobra e também fez a ultrapassagem sobre Faust. Pielak, que havia tomado a ponta ainda na largada, liderava a corrida com vantagem de três segundos.

No complemento da sétima volta, Romanini vinha a 0s152 do líder. Pielak, na abertura da 11ª volta, saiu da pista no contorno da curva Um e foi superado por Romanini e por Reisdorfer, que a partir de então passaram a abrir vantagem sobre o restante do pelotão. Ao fim da bateria, Reisdorfer passou a pressionar o líder e os dois receberam a bandeirada final com os carros praticamente lado a lado – a vantagem de Romanini foi de apenas 0s103.

“Não podia ter sido melhor”, declarou Romanini, que para a terceira prova do fim de semana, neste domingo, terá 60 quilos de peso extra total no carro – é o “troféu bigorna”, que institui, por regulamento, a adição de lastro aos carros dos primeiros colocados como artifício para equilibrar a disputa. “Nossa vantagem na pontuação é boa, mas não penso em administrar resultados amanhã. Bem pelo contrário, vamos para a pista para vencer”, avisou.

As duas corridas deste domingo serão transmitidas ao vivo pelo canal por assinatura Bandsports. Os resultados das primeiras etapas, neste sábado, foram os seguintes:

Primeira bateria, 21 voltas

1º) Marco Romanini (PR/VW Gol), 30min33s863

2º) Adriano Reisdorfer (PR/VW Gol), a 0s157

3º) Luiz Fernando Pielak (PR/Ford Ka), a 10s393

4º) Guinho Biberg (PR/Renault Clio), a 29s230

5º) Wanderley Faust (PR/GM Corsa Sedan), a 33s805

6º) Guto Baldo (PR/VW Gol), a 40s554

7º) André Massuh (DF/GM Corsa), a 55s142

8º) Luciano Cardoso (RS/VW Gol), a 1min05s739

9º) Marlon Bastos (PR/GM Corsa), a 1 volta

10º) Pedro Souza Neto (PE/VW Gol), a 1 volta

11º) Gerson Filho (PE/GM Corsa), 1 volta

12º) Leônidas Fagundes Júnior (PR/VW Gol), a 2 voltas

13º) Paulo Vessaro (PR/Fiat Palio), a 3 voltas

14º) Marcel Sedano (SC/VW Gol), a 6 voltas

NÃO COMPLETARAM

Rafael Mocelin (RS/Fiat Palio), a 19 voltas

Lademir Marcante (TO/VW Gol), a 19 voltas

Edoli Caús Júnior (PR/GM Corsa), a 20 voltas

Leonel Neto (PE/GM Corsa), a 20 voltas

Klebson Cunha (PE/GM Corsa), a 21 voltas

Marcelo Camacho (SP/GM Corsa), a 21 voltas

Melhor volta: Romanini, na 13ª, 1min20s505, média de 135,584 km/h

Segunda bateria, 22 voltas

1º) Marco Romanini (PR/VW Gol), 30min11s483

2º) Adriano Reisdorfer (PR/VW Gol), a 0s103

3º) Luiz Fernando Pielak (PR/Ford Ka), a 4s840

4º) Wanderley Faust (PR/GM Corsa Sedan), a 26s171

5º) Guto Baldo (PR/VW Gol), a 30s149

6º) Marlon Bastos (PR/GM Corsa), a 50s809

7º) Luciano Cardoso (RS/VW Gol), a 54s516

8º) Lademir Marcante (TO/VW Gol), a 1min17s775

9º) Rafael Mocelin (RS/Fiat Palio), a 1 volta

10º) Pedro Souza Neto (PE/VW Gol), a 1 volta

11º) Paulo Vessaro (PR/Fiat Palio), a 2 voltas

12º) Gerson Filho (PE/GM Corsa), 2 voltas

13º) Klebson Cunha (PE/GM Corsa), a 2 voltas

14º) Leonel Neto (PE/GM Corsa), a 2 voltas

NÃO COMPLETARAM

Guinho Biberg (PR/Renault Clio), a 13 voltas

Marcel Sedano (SC/VW Gol), a 16 voltas

Leônidas Fagundes Júnior (PR/VW Gol), a 18 voltas

André Massuh (DF/GM Corsa), a 22 voltas

NÃO LARGARAM

Edoli Caús Júnior (PR/GM Corsa)

Marcelo Camacho (SP/GM Corsa)

Melhor volta: Romanini, na 5ª, 1min20s831, média de 135,037 km/h

CLASSIFICAÇÃO

Após duas corridas, a classificação do Brasileiro de Marcas & Pilotos é a seguinte: 1º) Romanini, 40 pontos; 2º) Reisdorfer, 30; 3º) Pielak, 24; 4º) Faust, 18; 5º) Baldo, 14; 6º) Biberg, 10; 7º) Bastos, 8; 8º) Cardoso, 7; 9º) Massuh, 4; 10º) Marcante, 3; 11º) Mocelin e Souza Neto, 2. Ao final das quatro provas, para efeito de pontuação final, cada piloto terá de descartar seu pior resultado e os pontos eventualmente equivalentes à bateria desprezada.

Texto: Luciano Monteiro – (45) 9912-7040 – Fotos: Cláudio Kolodziej

VISITA ILUSTRE

Presidente da CBA visitará Cascavel

Rubens Gatti, presidente da Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA) e presidente da Comissão Nacional de Kart (CNK) confirmou hoje (quinta-feira) a visita de Clayton Pinteiro, presidente da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA) a Cascavel, no Paraná, nos dias 14 e 15 deste mês.

Segundo Rubens Gatti, faz mais de 10 anos que um presidente da CBA não visita Cascavel. Ele frisa que a presença de Clayton Pinteiro representa a consideração do mais alto mandatário do automobilismo brasileiro tem para com o automobilismo paranaense e em especial com Cascavel, que por décadas é um dos pólos do automobilismo brasileiro. “O Clayton está implantando uma filosofia nova de trabalho frente a CBA e esta será uma boa oportunidade debater as mudanças com dirigentes e pilotos das regiões Oeste e Sudoeste do Paraná”, salienta Rubens Gatti.

Rubens Gatti também informa que além de acompanhar o desenrolar do Campeonato Brasileiro de Marcas no autódromo Zilmar Beux, em Cascavel, Clayton Pinteiro irá a Maripá, distante 80 quilômetros de Cascavel, conhecer o Arrancadão de Tratores, uma da muitas categorias criadas no Paraná. Se a agenda permitir, poderá ir também a Pato Branco, no Sudoeste, acompanhar a última e decisiva etapa da Copa Paraná de Kart.

PACHENKI FICA EM OITAVO

Carro instável deixa Pachenki para trás


O oitavo lugar que obteve ontem (4) na sexta etapa da Copa Vicar Stock Car trouxe sentimentos opostos a Diogo Pachenki. O paranaense, 20º no grid, lançou-se a uma prova de recuperação no Autódromo Internacional de Campo Grande e manteve-se em quarto na classificação do campeonato. A vitória na capital de Mato Grosso do Sul foi comemorada pelo paulista Felipe Lapenna, novo líder da tabela de pontos.

“No início da corrida eu tinha um carrão na mão, mas o tráfego lá atrás era muito forte, não consegui ganhar tantas posições quanto esperava ganhar”, descreveu o piloto da ALM Pachenki Motorsport, que era 16º na segunda volta, estava em 13º uma volta depois, ganhou mais uma posição na sexta volta e, na oitava, figurava em décimo. “A essa altura, meu carro já não tinha todo aquele equilíbrio, estava saindo muito de traseira”, contou.

Pachenki chegou a sair da pista com a instabilidade do carro. Manteve a posição na classificação da prova e, nas voltas finais, perdeu rendimento. “Eu fiz o que pude para ganhar posições. Nas últimas voltas, vinha sendo até mais rápido que vários dos pilotos que estavam à minha frente, mas se forçasse um pouquinho mais poderia rodar e sair da pista. Em oitavo, consegui me manter em quarto no campeonato, o que não é mau”, considerou.

Até a etapa de Campo Grande, Pachenki estava a 13 pontos do líder, o também paranaense Júlio Campos. Na nova contagem, a desvantagem do campeão em 2004 em relação ao primeiro colocado, que passa a ser Lapenna, é de 29 pontos. “Faltam três corridas e essas três corridas terá de ser das mais positivas para mim. Vamos, claro, trabalhar para melhorar ainda mais o carro. Aqui, tive um carro melhor na corrida que nos treinos”, constatou.

Lapenna tornou-se o sexto piloto a conquistar a vitória em seis etapas da Copa Vicar já disputadas. Pachenki, Tiago Gonçalves, Campos, Gustavo Sondermann e Sérgio Jimenez foram os outros. No campeonato, Lapenna vai a 89 pontos, contra 77 de Campos, 76 de Rafael Daniel – que terminou a corrida em Campo Grande na segunda posição – e 60 de Pachenki. O pódio sul-mato-grossense teve, ainda, o paranaense Rodrigo Sperafico, em terceiro.

A sétima e antepenúltima etapa da Copa Vicar Stock Car devolverá a categoria ao Autódromo Internacional de Curitiba, no próximo dia 25. A prova deste domingo em Campo Grande, após 25 voltas, teve o seguinte resultado:

1º) Felipe Lapenna (SP/Full Time Junior Team), 39min02s406
2º) Rafael Daniel (SP/FTS Competições), a 0s589
3º) Rodrigo Sperafico (PR/Carlos Alves Competições), a 0s874
4º) André Bragantini (PR/FTS Competições), a 3s524
5º) Júlio Campos (PR/Carlos Alves Competições), a 4s121
6º) Lucas Finger (SP/AMG Motorsport), a 12s663
7º) Wellington Justino (GO/Hot Car Racing), a 13s597
8º) Diogo Pachenki (PR/ALM Pachenki Motorsport), a 13s990
9º) Gustavo Sondermann (SP/Gramacho Racing), a 19s215
10º) Sérgio Jimenez (SP/Scuderia 111), a 32s394
11º) Pedro Boesel (PR/Petrópolis Competições), a 36s164
12º) Marco Cozzi (SP/Racequip Lobo), a 38s466
13º) Leonardo Vital (SP/RC3-Bassani Racing), a 38s929
14º) Rodrigo Navarro (SP/Gramacho Racing), a 1min03s259
15º) Galid Osman (SP/Full Time Junior Team), a 1 volta
16º) Diego Freitas (BA/Hot Car Racing), a 1 volta
17º) Marcelo Tomasoni (SP/Carlos Alves Competições II), a 1 volta
18º) Renato Rattes (SP/RS Racing-Zuffo), a 1 volta
19º) Eduardo Leite (SP/DCM Motorsport), a 2 voltas
20º) Tiago Gonçalves (SP/DCM Motorsport), a 5 voltas
21º) Murillo Macedo (SP/J Star Racing), a 7 voltas

NÃO COMPLETARAM
Renato Jader David (SP/Gramacho Racing), a 14 voltas
Juliano Moro (SP/Nascar Motorsport), a 18 voltas
Cássio Homem de Melo (SP/Scuderia 111), a 21 voltas
Daniel Pflaumer (SP/Nascar Motorsport), a 25 voltas
Eduardo Berlanda (SP/F&F Racing), a 25 voltas
Ítalo Silveira (MG/Prata MX Sports), a 25 voltas
Melhor volta: Campos, na 7ª, 12min30s551, média de 136,48 km/h

Foto: Diogo Pachenki largou em vigésimo e terminou em oitavo / Vanderley Soares
Texto: Luciano Monteiro

DIA RUIM PARA PACHENKI

Problema foi uma pane elétrica

Mesmo a equipe tendo substituído toda a parte elétrica do carro depois dos problemas apresentados na etapa anterior, em São Paulo, quando o mesmo chegou a desligar durante a corrida, o paranaense Diogo Pachenki voltou a enfrentar problemas com componentes elétricos nos treinos livres nesta sexta-feira, na Stock Car Copa Vicar (17), na pista de Jacarepaguá, Rio de Janeiro.

Com o carro tendo picos de corte de alimentação, por causa do power shift, componente que dá ganho de rapidez ao permitir a troca de marchas sem a necessidade de tirar o pé do acelerador, o piloto da Marisol e One Store perdeu praticamente todo o primeiro treino do dia. O que foi determinante para a 19ª colocação na segunda parte da sessão. “Até descobrir que o problema era no power shift, que nós trocamos na revisão, perdemos muito tempo”, avalia o Pachenki.

Com isso, a chance de conseguir um bom lugar no grid vai ficar restrita ao acerto que conseguir encontrar durante o treino de classificação deste sábado, marcado para as 14 horas e que terá duração de 60 minutos.”Infelizmente, vai ter de ser assim. Mas quem sabe as coisas melhorem”, imagina, trabalhando com a perspectiva de chuva, o que pode embaralhar o favoritismo dos mais carros velozes de hoje. O baiano Diego Freitas foi o mais rápido do dia estabelecendo 1min24s014, média de 142.947 de média horária.

Foto: Sexta-feira ruim para Diogo Pachenki na Copa Vicar / Vanderley Soares
Texto: Clovis Grelak

NOVO TANGO DE MUFFATO

Depois de 13 anos, Pedro Muffato volta a Buenos Aires

A inédita realização de uma etapa do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck fora do país vai proporcionar um momento agradável ao piloto cascavelense Pedro Muffato. O piloto paranaense da Muffatão Racing terá na sétima etapa, que será disputada na manhã deste domingo (20) no Autódromo Internacional Juan y Oscar Galvez, a oportunidade de volta a disputar, depois de 13 anos, uma prova de automobilismo em Buenos Aires.

Muffato não compete na capital argentina, desde 1996. Naquele ano, teve sua participação no Sul-Americano de Fórmula 3 interrompida por um acidente na etapa de Cascavel. “Desde então, não corri mais na Argentina. Continuei revendo os amigos nos anos seguintes, quando ia para lá como comentarista da F-3 para a ESPN Internacional. Faz tempo”, relembra. “Revi alguns neste ano, quando a Top Race veio correr junto com a Truck em Interlagos”.

O piloto mais experiente da F-Truck não esconde a satisfação por voltar à pista portenha. “É sempre um grande prazer correr em Buenos Aires, rever os companheiros de muitos anos de corrida, desde os tempos da F2 Codasur, da F-3 sul-americana. O povo argentino adora as corridas, eles vão se encantar com a Fórmula Truck”, aposta o veterano. “Muitos deles já me adiantaram em Interlagos que a corrida em Buenos Aires vai ser um sucesso”, diz.

As características do traçado número 8 – o que será utilizado pela Truck e pela Top Race V6 nas corridas deste domingo – animam Muffato. “É uma pista de alta velocidade, o tipo de pista em que gosto de correr. Acho que já corri em todos os traçados do autódromo e devo ter corrido no 8, também”, comenta. “É como se eu estivesse correndo em casa. É claro que o Gaston (Mazzacane) vai ter a maior torcida, mas acho que vou ter apoio dos torcedores, também”, diz.

A sétima etapa da Fórmula Truck, neste domingo em Buenos Aires, será transmitida para o Brasil pela Rede Bandeirantes, a partir das 13h. A classificação do campeonato depois de seis corridas é a seguinte:

1º) Valmir Benavides (SP/Volkswagen), RM Competições, 128
2º) Felipe Giaffone (SP/Volkswagen), RM Competições, 109
3º) Roberval Andrade (SP/Scania), RVR Motorsport, 93
4º) Wellington Cirino (PR/Mercedes-Benz), ABF Competições, 80
5º) Renato Martins (SP/Volkswagen), RM Competições, 70
6º) Geraldo Piquet (DF/Mercedes-Benz), ABF Competições, 69
7º) Djalma Fogaça (SP/Ford), DF-Ford Racing Trucks, 54
8º) Vignaldo Fizio (SP/Mercedes-Benz), ABF Competições, 42
9º) Beto Monteiro (PE/Iveco), Scuderia Iveco, 37
10º) Danilo Dirani (SP/Volvo), ABF Competições, 31
11º) Fabiano Brito (PR/Volvo), ABF Competições, 27
11º) Fred Marinelli (SP/Iveco), Marinelli Competições, 27
13º) Adílson Magalhães (SP/Iveco), Scuderia Iveco, 25
14º) João Maistro (PR/Volvo), Clay Truck Racing, 20
15º) Pedro Muffato (PR/Scania), Muffatão Racing, 17
16º) Leandro Reis (GO/Original Reis Competições), 14
16º) José Cangueiro (SP/Mercedes-Benz), 14
16º) Débora Rodrigues (SP/Volkswagen), RM Competições, 14
19º) José Maria Reis (GO/Original Reis Competições), 7
20º) Adalberto Jardim (SP/Ford), DF-Ford Racing Trucks, 5
20º) Gastón Mazzacane (ARG/Ford), ABF Competições, 5
20º) Urubatan Helou Júnior (SP/Ford), DF-Ford Racing Trucks, 5
23º) Régis Boessio (RS/Volvo), Boessio Competições, 4

Foto: Muffato ocupa o 15º lugar na classificação do campeonato / Orlei Silva
Texto: Luciano Monteiro

AUTOMOBILISMO

Temporada mais equilibrada da Copa Vicar

A Copa Vicar Stock Car abre sua segunda metade neste domingo (20). A quinta das nove etapas será disputada no Autódromo Internacional Nelson Piquet, no Rio de Janeiro, apresentando como destaque a ínfima diferença entre os seis pilotos mais bem colocados na tabela de classificação. Dos líderes Júlio Campos e Tiago Gonçalves aos quintos colocados, Gustavo Sondermann e Felipe Lapenna, são cinco pontos, equivalentes ao 11º lugar em uma corrida.

“Este é um dos campeonatos mais disputados da história da categoria”, observa o paranaense Diogo Pachenki, campeão em 2004 e integrante da lista de pilotos que venceram corridas na atual temporada – ganhou a primeira etapa, em Interlagos, e liderou a pontuação até o fim da etapa passada, também disputada no circuito paulista. “Cada corrida teve um vencedor diferente e todos estão muito próximos na tabela”, continua o piloto da ALM Pachenki Motorsport.

Campos e Gonçalves empatam na liderança com 49 pontos, três à frente de Rafael Daniel, terceiro. Pachenki soma 45. Lapenna e Sondermann aparecem em novo empate, no quinto lugar, com 44. “Sempre se diz, no automobilismo, que qualquer ponto é importante. O nosso campeonato deste ano prova que isso não é só figura de linguagem”, acrescenta Pachenki, recordista de vitórias da categoria, que tem em seu carro as logomarcas de Marisol e One Store.

Na corrida passada, em Interlagos, Pachenki perdeu quase uma volta em relação aos líderes por conta de uma breve pane elétrica no carro número 8. “Para evitar algo do gênero no Rio, a equipe refez toda a parte elétrica do carro, pôs um novo chicote de fiação. O carro foi testado no dinamômetro da JL Racing e, ao que me pareceu, está muito bom. Agora, só resta esperar que os treinos comecem em Jacarepaguá. Só sei que vai ser muito equilibrado”, ele aposta.

AO VIVO NA CATVE

Os telespectadores de Cascavel e região poderão acompanhar a quinta etapa da Copa Vicar Stock Car ao vivo na CATVE, afiliada local da TV Educativa. A emissora, tal como fez nas etapas de Brasília, Santa Cruz do Sul e São Paulo, exibirá a corrida ao vivo, com narração de Vanderlei Luiz Ratto. As transmissões pela CATVE proporcionam ao público de Cascavel – cidade de Pachenki – um contato maior com a Copa Vicar Stock Car.

Foto: Diogo Pachenki está a três pontos dos líderes da Copa Vicar / Vanderley Soares Texto: Luciano Monteiro